Você está aqui
Home > Categorias > Coworking, uma nova forma de pensar o espaço de trabalho

Coworking, uma nova forma de pensar o espaço de trabalho

O coworking é uma nova forma de como pensar o espaço de trabalho, e já é uma escolha de pequenos empreendedores, startups, freelancers e de muitas grandes empresas.

É uma revolução na forma como se pensa o espaço de trabalho, uma quebra de paradigma. Primeiro, as empresas aprenderam a derrubar paredes. Agora, temos ainda a integração, a inovação, a flexibilidade e a criatividade redefinindo a forma de como se trabalha.

O coworking já é escolha de pequenos empreendedores, start-ups e freelancers, normalmente pressionados pela escassez de recursos para bancar uma sede própria. Além disso, o ambiente é mais colorido, descontraído, e conta com as chamadas áreas de descompressão que podem contar ou não com jogos diversos, como totó e pingue-pongue. São pontos que ajudam a relaxar, mas também estimulam a integração entre as pessoas, sejam elas de uma mesma ou de diversas empresas.

O coworking funciona como um escritório de serviços, que garante a infraestrutura, liberando o profissional ou a empresa para ficar inteiramente focada em sua atividade-fim. É um modelo que veio para ficar. O espaço de trabalho compartilhado, já é adotado por muitos profissionais e empresas pelo mundo.

E, já há empresas, com centenas de funcionários, instaladas em espaços compartilhados de trabalho. Para essas grandes empresas, o objetivo tende mais ao potencial de geração de negócios e oportunidades trazidos pela comunidade. O espaço tira a empresa do isolamento e a conecta a uma comunidade de realizadores. E isso é muito valioso. Existe um movimento de ressignificação da relação das pessoas com o trabalho. E as empresas estão remodelando seus espaços para transformar a cultura do trabalho, e o espaço físico tem papel importante nisso.

O ajuste do espaço físico é uma forma de casar o ambiente com um trabalho mais colaborativo, quebrando a hierarquia e atraindo mais criatividade e flexibilidade ao ambiente de trabalho. E flexibilidade no trabalho não significa trabalhar menos, mas de trabalhar de forma mais eficiente e produtiva.

Pesquisa da consultoria JLL mostra que os avanços tecnológicos e a análise de dados estão no motor da transformação do espaço de trabalho. A mudança organizacional vem ao lado de outras, como as sociais e culturais, trazidas pelo avanço acelerado da tecnologia. Os resultados são novas formas de trabalhar e de se comportar no trabalho, afetando diretamente como os negócios são estruturados e geridos, além da maneira como os profissionais usam seu espaço para trabalhar. Lá na ponta, isso garante maior produtividade às corporações.

Os coworkings são ícones dessa nova arquitetura do trabalho, que busca acelerar projetos e produtividade. O segmento cresceu 114% em um ano, batendo mais de 800 espaços em fevereiro, segundo a Corworking Brasil.

É uma evolução da cultura de trabalho e também da necessidade atual. A escassez de recursos, as transformações digitais e o momento de crise exigem mais criatividade e inovação. É um modelo forte, que veio para ficar.

O espaço compartilhado afeta positivamente o negócio. Primeiro traz viabilidade financeira, principalmente para o pequeno empreendedor. Mas, na hora de escolher, o empreendedor tem de verificar se o coworking se encaixa no modelo de negócios dele, qual é a rede de empreendedores local. A conexão, a integração de projetos, tem valor nessa escolha. Abre novas parcerias, novas áreas e novos projetos.

 

 

facebook-profile-picture
Antonio Moreno
"O descontentamento é o primeiro passo na evolução de um homem" Consultoria e Assessoria. CEO do Grupo Tradeclube Soluções. E-mail: antonio@tradeclubenetwork.com WhatsApp: 55-21-98117-2011
http://www.tradeclubenetwork.com

Deixe uma resposta

Top