Você está aqui
Home > Carreira > Criando a sua Autoridade junto ao Mercado Turístico – Parte 3

Criando a sua Autoridade junto ao Mercado Turístico – Parte 3

Não tenha medo das mudanças. Você acredita que os serviços disponibilizados na internet são concorrentes seus? Esqueça! As facilidades tecnológicas atuais podem dar dinamismo às nossas vendas. Você tem que vê-las como ferramentas complementares…

No artigo anterior Criando a sua Autoridade junto ao Mercado Turístico – Parte 2, falei de alguns fatores importantes que ajudarão você na criação de sua autoridade perante ao mercado de turismo e hoje você vai saber sobre a importância do conhecimento como fator diferencial para se obter sucesso em sua carreira no turismo.

Todo agente de viagens sabe que a sua função é vender produtos e serviços turísticos de terceiros, como por exemplo, excursões, pacotes, reservas de hotéis, locação de veículos, cruzeiros marítimos, ingressos para programas de entretenimento etc., como também, organizar excursões ou roteiros personalizados, negociar preços e condições, emitir bilhetes aéreos, saber sobre a melhor rota aérea, escalas, horários, tarifas, emitir vouchers, além de ter um bom conhecimento de história, geografia, cultura geral, saber algum(ns) idioma(s) e esclarecer dúvidas, para que tenha condições de indicar o melhor destino e os serviços que mais se encaixam na preferência do cliente.

Mas, também fazem parte de nossas tarefas profissionais diárias oferecermos informações sobre o clima do lugar de destino, hábitos e costumes da população local, orientações sobre a moeda e câmbio, documentação da viagem e outros suportes para que a viagem desejada pelo cliente esteja de acordo com as suas necessidades e expectativas.

Outras características são: a capacidade persuasiva, uma boa comunicação, dinamismo, simpatia, clareza, objetividade, organização, capacidade e paciência para lidar com o público.

Estas atribuições são o que chamamos de ‘básico’, concorda?

Mas a ampla adoção das novas tecnologias pela indústria do turismo está transformando o papel desempenhado pelos agentes de viagens e, também, dos consumidores. Para ambos, a internet é uma excelente ferramenta que permite acesso a um enorme e detalhado acervo de informações, aplicativos e muitas oportunidades.

Para o consumidor, o turismo, até o momento de vivenciá-lo, é somente um conjunto de informações que lhe são disponibilizadas. Então muitas pessoas recorrem à web para planejar os seus roteiros, pesquisar e esclarecer dúvidas sobre o(s) destino(s), e por fim, fazem as reservas e até compram.

Pela ótica do consumidor, adquirir uma viagem pela internet está cada vez mais fácil. É possível encontrar ofertas tentadoras. Preços absurdamente baixos são, muitas vezes, o fator de maior relevância.

Mas acontece que a primeira vista, o que parece ser um benefício pode se transformar em uma grande dor de cabeça. Seja a lazer ou a trabalho, quem viaja busca um roteiro sob medida para realizar seus propósitos e, como tudo na vida, nem sempre adquirir o que aparentemente é mais barato é a melhor opção. Passagens com preços extraordinariamente baixos e hotéis com diárias inigualáveis podem ser uma grande arapuca, afinal, também no turismo não existem preços mágicos.

Para o agente de viagens que encontra um mundo cada vez mais acelerado pelas novas tecnologias e um aumento da competitividade com o surgimento de inúmeros sites e aplicativos especializados em comercializar turismo pela internet, coloca em questão a sua função de intermediário. Mas, conforme o parágrafo anterior, ‘não existem preços mágicos’ e é, exatamente neste ponto, que o agente de viagens tem que mostrar o seu valor e a sua autoridade.

E se soubermos utilizar adequadamente essas novas tecnologias, utilizando as informações com qualidade e, somando a isso, flexibilidade, criatividade e inovação, teremos um serviço diferenciado. Às vezes, o consumidor pode ser seduzido pelo nosso atendimento apenas por um detalhe que tenha escapado da concorrência.

Então, um dos primeiros passos que evidenciam a importância do agente de viagens é não ter preconceito contra as mudanças. Você acredita que alguns serviços disponibilizados na internet são concorrentes seus? Não podemos ter preconceitos. As facilidades tecnológicas atuais podem dar dinamismo às nossas vendas. Você tem que vê-las como ferramentas complementares.

Com tantas informações disponíveis online, temos que buscar o conhecimento contínuo. Nós temos que mostrar o nosso novo papel, a nossa autoridade prestando um verdadeiro serviço de consultoria e assessoria em viagens. A consultoria exige conhecimento e empatia. Temos que colocar a empatia na nossa fala para nos conectarmos às outras pessoas e vendermos algo mais para aquilo que chamamos de serviço. Lembre-se: a tecnologia agrega valor à venda tradicional.

Devemos ficar sempre atentos aos movimentos do mercado e aprender com a experiência dos outros. Sempre preparados para a busca de novas oportunidades e prontos para, a qualquer momento, modificar toda a estratégia original para atender as novas mudanças que estão por vir, principalmente, dos nossos consumidores.

É importante enxergar os nossos clientes como seres humanos, e não apenas como consumidores/viajantes. É preciso conhecê-lo melhor e adaptar os nossos produtos e serviços de modo que ofereçam experiências e que superem as expectativas, e tentando sempre construir relacionamentos com mais fidelidade. Lembre-se: flexibilidade, criatividade e inovação são as palavras de ordem em nosso dia-a-dia.

Também é a hora de se valer do relacionamento com o trade turístico. A participação em eventos direcionados aos profissionais é um ótimo lugar para fazer bons contatos, fechar bons negócios, conhecer novos fornecedores e fidelizar os antigos. Nestes momentos, conhecemos ótimas pessoas e aprendemos muito sobre o que está acontecendo no mercado. Quando você tem a fidelização de uma rede de relacionamentos, maiores serão as chances de aumentar o seu conhecimento, a sua atualização e as oportunidades na indústria do turismo. É preciso ter conexões adequadas para ser um fator crítico de sucesso.

De nada adianta tentar reagir de forma imediata às mudanças. A pressa é inimiga da reflexão. Na nova ordem, pior do que ficar para trás será acelerar sem nexo, no sentido errado. Portanto, reveja constantemente a sua posição, estude seus fornecedores, seus concorrentes e seus consumidores. Aprenda sempre, analise e quebre paradigmas, para só depois acelerar e continuar prestando uma excelente consultoria e assessoria em viagens.

Quanto mais o tempo passa e a evolução tecnológica continua, múltiplas oportunidades aparecem para que os agentes de viagens mantenham um melhor relacionamento com os clientes. Mas, como todos nós sabemos, em um relacionamento saudável, colocar-se no lugar do outro é imprescindível. E isto também ocorre nos negócios. Por esta razão, conhecer o seu cliente (e mais do que isso) compreender as necessidades e como ele percebe “a sua marca” (você) é o início para a construção de um forte elo de ligação… Mas, essas informações ficarão para o próximo post… Até lá!

Convido você, agente de viagens, para participar dessa jornada. Sua opinião, suas ideias serão muito bem-vindas para que juntos possamos debater as melhores soluções para, definitivamente, mostrarmos a importância de nossa posição perante o consumidor e ao mercado de turismo.

facebook-profile-picture
Antonio Moreno
"O descontentamento é o primeiro passo na evolução de um homem" Consultoria e Assessoria. CEO do Grupo Tradeclube Soluções. E-mail: antonio@tradeclubenetwork.com WhatsApp: 55-21-98117-2011
http://www.tradeclubenetwork.com

One thought on “Criando a sua Autoridade junto ao Mercado Turístico – Parte 3

Deixe uma resposta

Top