Você está aqui
Home > Segmentos > Cultura Hipster

Cultura Hipster

Entender e saber se inserir nesse universo pode alavancar empreendimentos dos mais diversos setores, e com o turismo não é diferente.

Tendências sociais, econômicas e tecnológicas influenciam o comportamento e a decisão de compra dos consumidores. Uma dessas tendências se tornou global e abrange uma forma de pensar e de agir que caracteriza seus adeptos de forma clara. Estamos falando do mundo dos hipsters.

Atualmente, a palavra hipster é utilizada para caracterizar pessoas que afirmam ter um estilo próprio de viver, de se vestir e de consumir. Também são identificados como aqueles que ditam novas tendências para o resto da sociedade e que não gostam de estar inseridos em conceitos que se transformaram em “moda popular”. De forma bem simplista, seriam basicamente os que se autointitulavam “descolados” do final do século passado.

Imagem Reprodução

A palavra hipster vem do adjetivo em inglês “hip”, muito usado na década de 1940 para classificar os jovens ricos e brancos que imitavam o estilo dos negros do jazz estadunidense. O significado tende ao conceito de “inovadores”.

Com o passar do tempo, especificamente na virada do milênio, a palavra surge no sentido de indicar um grupo de pessoas entre 15 e 35 anos, geralmente de classe média, que experimenta e combina peças de roupa de design antigo e moderno ao mesmo tempo.

O uso de acessórios antigos e de roupas em padrões de xadrez se transformaram na identificação visual mais comum desse segmento. No gênero masculino, pode ser inserido o uso de barba como fator básico também.

Além disso, as pessoas que aderem a esse estilo buscam consumir produtos que fogem do comum na sociedade. Elas gostam de itens criativos, originais e que fujam da padronização e da produção em massa.

Como se inserir nesse universo

É possível adaptar a realidade dos empreendimentos para oferecer produtos e serviços que satisfaçam a necessidade deles. No segmento de Turismo, saber transformar o seu ambiente pode ser um ponto positivo. Contudo, vem o questionamento do que seria um empreendimento hipster.

Não existe uma definição fechada do que seria um empreendimento hipster. É mais simples definir o que um empreendimento desse tipo não é. Por exclusão, identifica-se como deve ser um conceito aceitável de local destinado para esse público. Outro caminho a seguir é definir o tipo de serviços que os clientes hipsters não abrem mão de que façam parte da infraestrutura do empreendimento. Dessa forma, uma lista pode ser elaborada e servir de guia básico para o entendimento das demandas solicitadas. Existe um aspecto básico que esse tipo de estabelecimento deve cumprir. Como estamos falando de um serviço baseado em um movimento que mistura conceitos antigos e novos, é imprescindível que tenham à disposição um aspecto cultural inovador como base.

Não é incomum ver exibições de arte nesses empreendimentos. Muitos deles auxiliam os artistas das redondezas, exibindo seus trabalhos nas dependências comuns. Outros utilizam de materiais recicláveis para dar nova vida a alguns objetos e mostrar que algo que aparentemente não possuía valor pode se tornar um objeto de inspiração e beleza. Basicamente, são movimentos de inspiração cultural que os clientes encontram e que misturam sustentabilidade e arte regional. Eles podem ser encontrados em todas as áreas comuns desses empreendimentos.

Características principais

Detalhes que um empreendimento hipster geralmente deve observar para conquistar esse público:

Design

Essa variável é muito importante. Na maioria das vezes, os empreendimentos que são classificados como reduto de hipsters estão localizados em espaços singulares e conseguem fazer uma fusão entre a arquitetura tradicional e um design mais contemporâneo.

Singularidade

Esses empreendimentos são diferentes em comparação com os outros. Estão longe do usual e optam por alguma característica que os diferencia, como uma prestação de serviço mais customizada.

Tecnologia

A tecnologia é um aspecto obrigatório para esses estabelecimentos. Estar inserido em mídias sociais, possuir sites constantemente atualizados com fotos e eventos, disponibilizar contato fácil por e-mail e Wi-Fi nas dependências é fundamental para não afastar a clientela.

Conheça mais sobre o movimento, buscando mais informações e dicas em revistas culturais especializadas e em sites voltados para o segmento, como o espanhol Cultura Hipster.

facebook-profile-picture
Antonio Moreno
"O descontentamento é o primeiro passo na evolução de um homem" Consultoria e Assessoria. CEO do Grupo Tradeclube Soluções. E-mail: antonio@tradeclubenetwork.com WhatsApp: 55-21-98117-2011
http://www.tradeclubenetwork.com

Deixe uma resposta

Top