Dicas Para Escolher Um Bom Contador – II

Para chegar ao contador ideal, é preciso entender, primeiro, o que se espera desse prestador de serviço. Veja o segundo artigo com informações importantes para você, empreendedor…

Continuando com as informações sobre o nosso primeiro artigo (clique aqui.), contratar os serviços de um contador não é uma opção, como muitos donos de pequenas e médias empresas podem pensar. Essa é uma obrigação para a grande maioria das empresas. O que está ao alcance de qualquer empreendedor, portanto, é escolher entre um bom e um mau profissional.

O contador tem alguma responsabilidade legal? Ele pode responder judicialmente, caso cometa erros em algum aspecto da contabilidade. Os problemas mais comuns são a falta de pagamento de algum imposto (porque a guia não foi gerada, não foi gerada corretamente ou simplesmente porque o contador responsável pelos pagamentos não os efetuou).

Nesses casos, é preciso lembrar que, na prática, quem será acionado primeiro pela falha – o não pagamento de um tributo, por exemplo – é o dono da empresa, e não o seu contador. Em um segundo momento, caso seja possível provar que a situação é consequência de uma falha ou da má fé do escritório de contabilidade, o empresário poderá acionar o profissional judicialmente.

O pagamento de impostos deve ficar a cargo do contador? Depende. Se o empresário tiver tempo para efetuar ele mesmo os pagamentos, sem dúvida isso é o mais seguro a ser feito. Mas talvez essa opção seja viável apenas para empresas bem pequenas, que pagam até cinco tributos por mês. Uma quantidade muito superior a essa pode demandar muito tempo do empresário, o que pode acabar tomando horas que deveriam ser dedicadas a estratégia e ao dia a dia do negócio.

Caso o dono da empresa opte por terceirizar o pagamento dos impostos, é importante que isso seja feito com um contador de sua confiança. Além disso, há escritórios de contabilidade que disponibilizam os recibos de pagamento online, em uma espécie de intranet ou até em um ambiente de nuvem. Ali o empreendedor pode checar se todos os pagamentos foram feitos corretamente.

É importante entender de contabilidade para obter um bom serviço? Sim. É claro que o empreendedor não precisa ser um especialista no assunto, mas conhecer alguns termos e obrigações legais relacionados à contabilidade da empresa ajudarão, sem dúvida, a exigir uma qualidade superior no serviço prestado.

Entender alguns conceitos também é importante. Para começar, é preciso saber claramente a diferença entre despesa e custo (a despesa é o gasto com bens e serviços relacionados à manutenção da empresa e à obtenção de receita, entre eles aluguel, salários e telefone; o custo é a soma dos gastos necessários para produção ou realização de um bem ou serviço).

Outra informação que o empreendedor deve dominar é a entrada e saída de dinheiro da empresa, o tal Fluxo de Caixa, que também deve ser enviado ao contador todos os meses.

Qual a importância dos softwares de gestão? Na correria do dia a dia, muitas vezes torna-se difícil fazer registro de tudo. Daí a importância de um bom software de gestão. A tecnologia é capaz de automatizar boa parte dos processos. Chamados de ERP, esses softwares organizam as movimentações financeiras, registram as vendas e ainda podem ser integrados à emissão de nota fiscal eletrônica. Em alguns casos, as empresas possuem sistemas interligados com os contadores, de forma que eles recebam informações registradas no software de gestão automaticamente.

Para que tipo de empresa funcionam os novos serviços de contabilidade online? De uns tempos para cá, surgiram startups que se propõem a ser uma espécie de contador online. Seus serviços básicos são iguais aos de um escritório tradicional. A diferença é que a interface entre contador e cliente é feita pela internet (chat ou e-mail). O uso do telefone pode acontecer, mas é exceção.

Esses novos modelos de negócio podem ser interessantes para donos de empresa de baixa complexidade, com poucos lançamentos e previsibilidade no papel contábil. Isso porque companhias que prestam diferentes serviços, e com isso têm registros tributários diversificados, podem não se adequar a esse sistema.

Fonte: Revista PEGN / Artigo de Adriana Fonseca e Glauco Diogenes.

Gostou das informações? Envie um comentário com a sua opinião, sejam dúvidas, sugestões ou críticas, sobre o artigo. Participe! Seja um dos nossos! Até breve!

facebook-profile-picture

Acredito que qualquer pessoa tem a capacidade de realizar seus sonhos. Para isso, é preciso buscar informação e orientação. Esse é o meu foco principal. Ajudar os que procuram, através da capacitação, o seu desenvolvimento profissional e empresarial para alcançar os seus objetivos.

Deixe uma resposta