Você está aqui
Home > Categorias > Dicas para escolher um bom contador – I

Dicas para escolher um bom contador – I

Uma das áreas mais importantes para a saúde de um negócio é uma das menos conhecidas pelos empreendedores.

Contratar os serviços de um contador não é uma opção, como muitos donos de pequenas e médias empresas podem pensar. Essa é uma obrigação para a grande maioria das empresas. O que está ao alcance de qualquer empreendedor, portanto, é escolher entre um bom e um mau profissional.

Para chegar ao contador ideal, é preciso entender, primeiro, o que se espera desse prestador de serviço. Apenas a função burocrática? Alguém que ajude a fazer um planejamento tributário para se pagar menos impostos? Ou um parceiro que dê suporte ao empreendedor em suas decisões financeiras? Com isso em mente, a escolha ficará mais fácil.

A relação com a burocracia envolvida no pagamento de impostos, todos os escritórios oferecem. O que poucos podem proporcionar é a capacidade de entender o negócio, o cenário econômico e as oportunidades que vêm pela frente.

Toda empresa precisa de um contador? Sim. É isso o que determina o artigo 1.179 do Código Civil. Ali está escrito, de forma bem clara, que a escrituração contábil de uma empresa deve ficar sob a responsabilidade de um contador legalmente habilitado, com registro no CRC (Conselho Regional de Contabilidade). Para obter tal registro, o profissional deve contar com formação técnica ou curso superior em contabilidade.

Sobre a necessidade de contratar os serviços de um contador, a única exceção é feita para empresas enquadradas na categoria Microempreendedor Individual (MEI). Estas estão, caso queiram, dispensadas da obrigatoriedade de contratar um profissional de contabilidade.

Qual é a melhor forma de escolher? A recomendação é pedir indicação para outros empreendedores. Fale com cinco ou seis donos de pequenas empresas e pergunte quem faz a contabilidade para eles. Nesse contato, será possível saber se estão satisfeitos com o escritório, que tipo de serviço recebem, quanto pagam e como é a comunicação com esse contador. Também é importante perguntar se o atendimento é feito por e-mail, WhatsApp ou telefone, e se os empreendedores conseguem falar com o responsável pela  contabilidade da empresa sempre que necessitam.

Depois disso, faça uma visita à sede desses escritórios para verificar a organização do local e a quantidade de funcionários (lembrando que o ideal é que cada profissional trabalhe com, no máximo, dez clientes). Na conversa com o contador, é importante avaliar a sua proatividade: parte do trabalho de um bom escritório é prestar orientação sobre o melhor regime tributário e ajudar na avaliação de passivos contábeis e trabalhistas.

É importante que o contador tenha experiência com outras empresas no seu ramo de atuação? Sim. Checar se o contador atende a outras empresas do mesmo setor no qual seu negócio está inserido é fundamental. Isso porque, dependendo da área em que a empresa atua, o contador terá que fazer cálculos bastante específicos para garantir um bom planejamento tributário.

Além disso, o ideal é que o escritório conheça as leis, as melhores alíquotas, se há substituições tributárias aplicáveis e os incentivos fiscais para o setor.

É preciso conferir a idoneidade do profissional? Não é comum pedir certidões negativas e checar se o contador tem protestos. O fundamental é checar se o profissional está registrado no CRC (Conselho Regional de Contabilidade), algo muito simples de ser feito. Basta entrar no site do CRC, buscar a região onde a empresa atua e consultar o nome do contador ou do escritório. Em poucos segundos, deve aparecer na tela se aquele profissional ou empresa está habilitado para prestar serviços contábeis.

Quais são os principais serviços oferecidos por um contador? Todo contador fará, pelo menos, o serviço básico de contabilidade. Nessa lista devem entrar abertura e fechamento de empresa, elaboração do contrato social, cálculo de tributos, emissão de guias de impostos, pró-labore dos sócios, envio do imposto de renda anual da pessoa jurídica e relatórios contábeis (como balanço patrimonial e demonstração de resultados).

Mas a função do contador pode ir muito além das obrigações burocráticas com o Fisco e a Junta Comercial. Um bom profissional pode ajudar a empresa desde o seu nascimento. Ele pode atuar como uma espécie de consultor ao apontar a necessidade de recursos financeiros, analisar o nível de endividamento e fazer a gestão de riscos.

Pode, ainda, produzir a folha de pagamento e orientar o empreendedor sobre a forma correta de contratar, gerir e demitir funcionários, para evitar eventuais passivos trabalhistas. Seja qual for a amplitude dos serviços contratados, é importante que tudo esteja devidamente registrado em contrato. Nesse documento devem constar os serviços que o contador promete entregar e seus respectivos valores.

Continua no próximo post…

Fonte: Revista PEGN / Artigo de Adriana Fonseca e Glauco Diogenes.

Gostou das informações? Envie um comentário com a sua opinião, sejam dúvidas, sugestões ou críticas, sobre o artigo. Participe! Seja um dos nossos! Até breve!

facebook-profile-picture
Antonio Moreno
"O descontentamento é o primeiro passo na evolução de um homem" Consultoria e Assessoria. CEO do Grupo Tradeclube Soluções. E-mail: antonio@tradeclubenetwork.com WhatsApp: 55-21-98117-2011
http://www.tradeclubenetwork.com

One thought on “Dicas para escolher um bom contador – I

Deixe uma resposta

Top