Empreender é tendência para os agentes de viagens

A independência e a flexibilidade de gerir o seu próprio negócio, além da organização da sua agenda, é uma das principais vantagens para os agentes de viagens.

Em meio a um cenário ainda de incertezas econômicas, o crescimento do empreendedorismo no Turismo aumentou, e um número cada vez maior de agentes de viagens tocam os seus negócios, independentes de uma agência de viagens. É difícil apontar um número correto, porém, é inevitável que haja um aumento de profissionais empreendedores no mercado.

Principalmente, os profissionais de longa carreira que, em conjunto com uma vasta cartela de clientes fidelizados, encontram a oportunidade de uma recolocação no mercado.

Mas, qual o melhor caminho para começar? A melhor opção para quem não tem recursos é se cadastrar como Micro Empreendedor Individual (MEI). O MEI é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. Entre as vantagens oferecidas está o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais. Além disso, o MEI é enquadrado no Simples Nacional e ficará isento dos tributos federais e, desta forma, pagando um valor fixo mensal que será destinado à Previdência Social e ao ICMS ou ISS. Com essas contribuições, o microempreendedor individual tem acesso a benefícios como auxílio maternidade, auxílio doença, aposentadoria, entre outros.

Como já foi dito, arcar com os custos de um escritório/loja pode ser um problema para quem está começando a empreender. A solução, nesse momento, pode ser basear a empresa na própria residência. Abrir uma empresa na residência ajuda o caixa de quem está começando, mas é preciso pesar direito os prós e contras. Outra solução é contratar os serviços de escritórios de Coworking, que pode ser alugado por pequenos períodos e contam com toda a infraestrutura de um escritório regular, como móveis, telefones e acesso à internet.

Estamos em um ambiente de crise, o que significa que precisamos mudar a nossa forma de agir. O pequeno negócio proporciona ao consumidor, além de acesso mais rápido e fácil, a confiança e atenção pessoal proporcionada pelo especialista (neste caso, o agente de viagens) que aconselha e assessora e que acrescentam um valor essencial ao atendimento personalizado. Esta mesma política de exclusividade também significa que, na maioria dos casos, o serviço pós-venda também será impecável.

É compreensivo que muitos agentes de viagens tenham medo de se arriscar, principalmente, com o atual cenário político e econômico. Mas, quando eles alcançam, sozinhos, o sucesso, e indicam a fórmula para os demais, o caminho é certo.

Mas, antes de se arriscar, é preciso elaborar um planejamento estratégico do negócio para que nada comece de forma errada e, ao invés de lucro, o agente de viagens tenha prejuízo.

#ficaadica

 

 

facebook-profile-picture

"O descontentamento é o primeiro passo na evolução de um homem" Consultoria e Assessoria. CEO do Grupo Tradeclube Soluções. E-mail: antonio@tradeclubenetwork.com WhatsApp: 55-21-98117-2011

Deixe uma resposta