Hotéis Residenciais para a Terceira Idade

Nos últimos 10 anos, o Brasil ganhou 8,5 milhões de cidadãos acima dos 60 anos. Essa parcela da população deve chegar a 38 milhões em 2017. Uma ótima oportunidade para você empreender para este público-alvo.

Hoje, chegamos a 26 milhões de idosos, e esse número não para de crescer. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), essa faixa da população vai triplicar em 40 anos, passando de 19,6 milhões registrados em 2010 para 66,5 milhões de pessoas em 2050.

O hotel residencial para idosos oferece moradia fixa e toda uma infraestrutura focada na saúde e bem-estar para o morador da terceira idade, como se fosse um residencial voltado para esse público, mas não deixando de atuar como hotel.

Apenas uma parte das suas unidades é separada para tal fim, e assim, o hotel consegue aumentar sua taxa de ocupação anual e, ainda, faturar sobre serviços extras, como atividades esportivas, de lazer e cuidados em saúde. Dessa forma, você conquista hóspedes fixos, por todo o ano, e os idosos contam com os serviços, o charme e o conforto de morar em um hotel, ambiente diferenciado das tradicionais residências para a terceira idade.

Mais comum na Europa e nos EUA, a ideia do hotel residencial para a terceira idade começa a se estabelecer no Brasil, inicialmente em São Paulo. Os hotéis dedicados a essa demanda separam uma parte de suas unidades habitacionais, promovem algumas adaptações direcionadas ao público-alvo, montam um programa de saúde e lazer específicos e, assim, fazem suas refeições e dividem toda a área de lazer com os demais hóspedes turistas, promovendo uma integração e um diferencial em relação às residências para a terceira idade propriamente ditas. O que se oferece ao idoso é a oportunidade de, literalmente, em um hotel, mas com todos os cuidados específicos demandados pela idade.

São dois os principais modelos de negócio utilizados pelos hotéis que aderiram a essa tendência. Na maior parte das vezes, o negócio é terceirizado para uma empresa que faz toda a gestão do residencial, repassando os custos de hospedagem e alimentação para o estabelecimento hoteleiro. Mas há, também, aqueles hotéis que assumem toda a gestão do projeto, responsabilizando-se, inclusive, pela contratação de profissionais específicos, como médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e recreadores, entre outros. Vale lembrar que a nova legislação trabalhista brasileira flexibilizou a contratação de trabalhadores, o que certamente reduz os custos com a mão de obra no caso de o hotel optar por assumir todo o projeto. Mas o modelo mais comum, em todo o mundo, é o da terceirização desta gestão.

O hotel residencial para a terceira idade ainda é uma tendência no Brasil, e os poucos estabelecimentos que adotam esse modelo ficam no Estado de São Paulo, notoriamente na capital. No Rio de Janeiro, há o Copacabana Praia Hotel, localizado na Rua Francisco Otaviano, em Copacabana, na Zona Sul da cidade. O hotel residencial para a terceira idade ali localizado tem nome próprio: Mandala Senior Living. O hotel terceirizou a um grupo de empresários a gestão do negócio e manteve suas atividades hoteleiras tradicionais.

O idoso pode escolher o seu quarto, de frente ou de fundos, com ou sem varanda e sacada. Tem à disposição café da manhã, almoço, lanche, jantar e ceia. Todas as refeições são feitas no próprio restaurante do hotel, junto com os demais hóspedes. Também frequenta a mesma área de lazer, mas conta com atividades exclusivas de hidroginástica, yoga e fisioterapia, é convidado a participar de atividades de lazer (inclusive caminhadas pela orla) e é atendido com exclusividade por enfermeiros, técnicos em enfermagem, cuidadores e por um médico clínico e um endocrinologista. Aliás, segundo o próprio site do Mandala, um dos sócios do empreendimento é o endocrinologista, que, também é membro da Academia Brasileira de Antienvelhecimento.

Localizado em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, o Hotel e Residencial Ararate dispõe de médico, enfermeiro, profissional de educação física, nutricionista e fisioterapeuta, responsáveis por desenvolver atividades físicas e de terapia ocupacional, além de convênio com ambulância 24 horas.

Conta com uma excelente infraestrutura e adaptações especiais, inclusive para cadeirantes. A arquitetura foi pensada de forma a atender esse público-alvo: os cômodos contam com grades nas janelas e portas com 1,30 m de largura sem fechaduras (abertura para fora). Os quartos e banheiros são equipados com luzes de emergência, interfone e botões de advertência para a recepção. Os pisos possuem granulação especial, de acordo com a Anvisa, não existindo degraus nem arestas. As quinas das paredes são arredondadas e os corredores e banheiros possuem barras de segurança. Os banheiros não possuem ralos, blindex ou cortinas.

O hotel menciona que o principal fator do seu modelo de negócio foi pensado levando em consideração as pessoas, não só no aspecto “hóspede-equipe”, mas também na relação “hóspede-hóspede”, onde se procura incentivar a socialização e a formação de uma grande família, como diferencial, e prezar pelo conforto, saúde e bem-estar associados a uma infraestrutura de qualidade.

Antes de tomar uma decisão

É preciso, antes de tudo, saber quais são as necessidades especiais do público sênior. São necessidades arquitetônicas, mas principalmente de saúde e bem-estar. Arquitetos, médicos, nutricionistas e professores de educação física, por exemplo, devem ser consultados previamente.

Investir em serviços é fundamental e agrega valor ao produto oferecido. É preciso contar com um serviço especializado em nutrição, levando para o restaurante do hotel uma dieta especial, mas servida com o mesmo requinte dispensado para a alimentação dos demais hóspedes. Um cardápio dirigido, porém sofisticado, faz toda a diferença.

As atividades de lazer e de condicionamento físico devem ter um propósito e regularidade e ser comandadas por profissionais.

O que diferencia um hotel residencial para a terceira idade de uma residência com esse fim é justamente a integração dos hóspedes fixos seniores com os demais hóspedes. Evite separá-los por alas. O que esse público busca é justamente o conforto de morar em um hotel, mas com todos os cuidados necessários à sua condição de idoso.

Há vários portais e associações voltadas para a terceira idade. Promova parcerias e divulgue o seu produto para uma mídia especializada.

Boa sorte!

 

facebook-profile-picture

Acredito que qualquer pessoa tem a capacidade de realizar seus sonhos. Para isso, é preciso buscar informação e orientação. Esse é o meu foco principal. Ajudar os que procuram, através da capacitação, o seu desenvolvimento profissional e empresarial para alcançar os seus objetivos.

Deixe uma resposta