Você está aqui
Home > Segmentos > Turismo Religioso

Turismo Religioso

O turismo religioso é considerado um tipo de turismo cultural pelo Ministério do Turismo (MTur), movimenta cerca de 15 bilhões de reais por ano no Brasil. Assim, surge uma grande oportunidade para as agências que atuam tanto na recepção quanto na emissão de turistas.

O Brasil é o país com o maior número de católicos do mundo. São ao todo, 137 milhões de pessoas. Existem 96 atrações religiosas hoje no Brasil, distribuídas em 344 municípios brasileiros. Em 2014, cerca de 17,7 milhões de brasileiros viajaram pelo país para destinos religiosos. Mas é importante observar que os cristãos evangélicos superarão os católicos no Brasil até 2040, de modo que o turismo religioso deve tomar uma nova direção no futuro.

Segundo o Relatório de Tendências 2015 da World Travel Market Latin America, o turismo religioso brasileiro se destaca como um dos maiores do setor e aponta para o crescimento deste mercado.

Embora a percepção imediata pelo vocábulo “religioso” possa sugerir um vínculo às religiões, peregrinações, pagamentos de promessas e forte influência do catolicismo, vale ressaltar a pluralidade religiosa existente no Brasil e a espiritualidade em suas diversas manifestações. Neste sentido, é importante conhecer o perfil do público-alvo para entender as demandas e aproveitar as oportunidades. Um exemplo é o budismo que, de acordo com o IBGE, representa uma parcela de 243 mil cidadãos no Brasil. Assim, ao lado de católicos, protestantes, adventistas, espíritas e de tantas outras manifestações religiosas, os budistas – embora minoritários – também colaboram para impulsionar o turismo religioso, e estão entre os viajantes que se deslocam pelo país.

Os ‘turistas da fé’ – que é composto por homens e mulheres, na sua maioria, pertencentes a classe C e com idades entre 25 e 55 anos – buscam visitar locais onde a prática religiosa é intensa, seja para buscar alguma graça, pagar alguma promessa, agradecer por algum pedido, ou ainda, para conhecer estes locais e seus contornos sociais, históricos e culturais.

Normalmente viajam em grupo ou em família utilizando mais o transporte rodoviário do que aéreo e procuram melhor compreensão da sua religião e como ela se difunde por outras partes do mundo, com o intuito de trocar ideias com outros fiéis e aumentar/aperfeiçoar sua evolução espiritual.

Os brasileiros que viajam por motivos religiosos podem rejeitar o rótulo de turistas, já que muitas vezes, o turismo é associado a quem usa o tempo livre para lazer e consumo. É delicado relacionar religião com economia. Apesar do romeiro ou peregrino não viajar por lazer, ele também utiliza a estrutura de turismo das cidades como hospedagem, alimentação e transportes. Mas, não podemos generalizar, especialmente quando pensamos no turismo religioso entre os mais jovens. Como, por exemplo, na JMJ, no Rio de Janeiro, 20% dos entrevistados disseram que visitaram ou iriam visitar outra cidade do Estado do Rio de Janeiro. Ou seja, a motivação principal da viagem esteve relacionada à religião. Porém, não foi a única.

É importante que as agências de viagens conheçam os principais pontos de peregrinação, possibilitando a preparação do negócio para receber este turista. Embora haja muita riqueza histórica e arquitetônica permeada pela religiosidade, o turismo religioso ainda é pouco explorado. No entanto, ele oferece oportunidades para as agências de viagens que atuam ou desejam atuar neste setor, como:

  • As agências especializadas em atuar junto a grupos que participam de shows, carnaval e festas tradicionais de padroeiros das cidades (por exemplo), podem buscar parcerias com entidades religiosas e igrejas que promovem ou organizam eventos religiosos – como encontro de casais, de jovens e retiros –, hotéis ou fazendas.
  • A criação de rotas turísticas por agências, apresentando a rota das principais cidades que oferecem turismo religioso. Apesar de tanta riqueza, ainda é notável a carência de roteiros específicos pelas igrejas. Uma oportunidade a ser aproveitada consiste em definir e oferecer roteiros fechados que estabeleçam uma conexão religiosa, sendo um atrativo para o turista.
  • Fomentar e apoiar eventos que também tenham a religiosidade como eixo temático.
  • Atentar para os principais eventos religiosos mundiais e providenciar viagens aos turistas para esses lugares.

 

Ações recomendadas:

  • Um ponto importante em relação ao turismo religioso é a capacitação das pessoas que trabalham na área. Lidar com a fé é sempre algo delicado, que merece profissionalismo e entendimento das necessidades, dos processos e dos dogmas de cada religião. É essencial, por exemplo, observar que hábitos os seguidores cultivam para que o roteiro e as demais questões relativas à estadia dos peregrinos estejam de acordo com seus pressupostos;
  • Ainda que o turista religioso não viaje por lazer ou consumo, ele usa a estrutura de turismo das cidades, como hospedagem, souvenires, alimentação e transportes. Por isso, vale a pena buscar parcerias na localidade para oferecer serviços diversificados para esse turista.

 

Confira alguns eventos voltados ao turismo religioso:

  • WTM Latin America que ocorrerá no período de 29 a 31 de março de 2016. O evento promove a América Latina para o mundo, criando oportunidades de negócios;
  • ExpoCatólica que ocorre anualmente com o apoio do Ministério do Turismo e de vários estados. O evento visa promover o turismo religioso católico entre o público da feira;
  • Mostra Expocatólica de Turismo Religioso que acontece paralelamente à ExpoCatólica e tem por objetivo promover negócios entre os produtores e compradores de produtos e serviços religiosos, principalmente entre as igrejas e lojas.

 

 

facebook-profile-picture
Antonio Moreno
"O descontentamento é o primeiro passo na evolução de um homem" Consultoria e Assessoria. CEO do Grupo Tradeclube Soluções. E-mail: antonio@tradeclubenetwork.com WhatsApp: 55-21-98117-2011
http://www.tradeclubenetwork.com

Deixe uma resposta

Top