Você está aqui
Home > Carreira > Seja um microempreendedor individual do mercado de turismo

Seja um microempreendedor individual do mercado de turismo

Com as mudanças acontecendo rapidamente no mercado de turismo, surgem novas oportunidades para os agentes de viagens, tornando o momento propício para empreender.

Ter seu próprio negócio é o sonho de muitos brasileiros. Mas investir em uma ideia de negócio requer muita pesquisa, planejamento e preparo. O empreendedor precisa conhecer o mercado em que vai atuar, buscar novas oportunidades e se antecipar às ameaças.

Saiba muito bem tudo sobre o seu negócio. Você é o principal responsável por fazer com que ele dê certo. Portanto, precisa conhecer bem o seu produto, o seu mercado, os hábitos dos seus clientes e concorrentes, assim como os melhores fornecedores. É preciso ser um eterno aprendiz, participar de cursos, buscar apoio, estudar sempre sobre o negócio e colocar tudo no papel é essencial para o microempreendedor.

Tenha um olhar aberto para o mercado. Amplie a sua visão em relação ao público que deseja trabalhar e vá até onde os clientes estão. Muitos negócios tiveram sucesso porque não ficaram limitados a suas comunidades, buscaram os clientes onde eles estavam, divulgaram seu produto ou serviço da maneira que puderam. Ou ainda foram inovadores ao atingir um público que não era trabalhado de forma específica pelos concorrentes. Não tenha preconceitos e veja o mercado e suas infinitas possibilidades.

Além disso, é preciso cuidar da formalização do negócio para poder emitir notas fiscais e recolher impostos. Visando facilitar o registro de empreendimentos pequenos e, em sua maioria informal, desde julho de 2009 existe no Brasil o Microempreendedor Individual (MEI), que faz parte da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa. O MEI permite que profissionais (em nosso caso, muitos agentes de viagens freelancers) possam se formalizar.

Com CNPJ e cobertura previdenciária, os horizontes se abrem para o agente de viagens empreendedor que quer crescer. O que começa como um pequeno negócio pode virar uma média ou grande empresa no futuro. Tudo começa com a formalização e o direito de exercer a profissão e a cidadania de acordo com as leis do país.

O Microempreendedor Individual (MEI) deve ter um valor máximo de faturamento anual e não pode ter participação em outra empresa como sócio ou titular. O MEI também pode ter um empregado contratado que receba um salário mínimo ou o piso da categoria.

O MEI é enquadrado no Simples Nacional, regime compartilhado de arrecadação de tributos e ficará isento dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL). Porém, deverá pagar um valor fixo mensal que será destinado à Previdência Social e ao ICMS ou ao ISS. Essas quantias serão atualizadas anualmente, de acordo com o salário mínimo. Assim, o MEI terá acesso a benefícios como auxílio maternidade, auxílio doença, aposentadoria, dentre outros.

Cabe ressaltar que o Simples Nacional não está limitado ao MEI, ou seja, outras empresas poderão optar por esse regime, sempre considerando o faturamento anual, as atividades impeditivas e participação societária.

É uma grande oportunidade para o agente de viagens que está desempregado e gostaria de trabalhar em casa ou em um coworking e ter a sua independência profissional. E o mais importante, você pode fazer sua inscrição pela internet.

Para maiores informações de como proceder, acesse: http://www.portaldoempreendedor.gov.br

 

 

facebook-profile-picture
Antonio Moreno
"O descontentamento é o primeiro passo na evolução de um homem" Consultoria e Assessoria. CEO do Grupo Tradeclube Soluções. E-mail: antonio@tradeclubenetwork.com WhatsApp: 55-21-98117-2011
http://www.tradeclubenetwork.com

Deixe uma resposta

Top